sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Livro inacabado.

As palavras estão todas juntas na minha cabeça.
Ensaiei o discurso vezes sem conta. Há já alguns anos que o ensaio, no último ano com mais rigor.

As palavras estão todas juntas na minha cabeça.
E penso: é amanhã. de amanhã não passa. é depois da data X. depois da data X não passa.

As palavras estão todas juntas na minha cabeça.
Preciso que elas saiam.

As palavras estão todas juntas na minha cabeça.
Mas dói.
Frustração.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

... quando o buraco não tem fundo...
... as paredes são companheiras...
... o silêncio...
... o vazio...
... a certeza...
... a frustração...
... o grito estrangulado...
... a recusa...
... a cegueira...
... a mudez...
... a inação...
... os estilhaços...
... as estúpidas migalhas de nada...

Não é nada disto. Isto não é nada.

domingo, 28 de dezembro de 2014

Erva daninha

A erva daninha cresce em qualquer lado. Podemos arrancá-la, retirar até a raiz, mas a verdade é que ela acaba sempre por surgir nos mais ínfimos espaços e de repente... sem anunciar... sem nada o prever.


A erva daninha está sempre lá. Por vezes parece extinta, porém basta um mover de olhos, o tempo de pestanejar, e ela mostra-se em todo o seu esplendor, ocupando o espaço vazio.


... até o cabelo ser anil...

Joana Cato

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Florbela Espanca - 8 de dezembro de 1894 - 8 de dezembro de 1930


MendigaNa vida nada tenho e nada sou; 
Eu ando a mendigar pelas estradas... 
No silêncio das noites estreladas 
Caminho, sem saber para onde vou! 

Tinha o manto do sol... quem mo roubou?! 
Quem pisou minhas rosas desfolhadas?! 
Quem foi que sobre as ondas revoltadas 
A minha taça de oiro espedaçou?! 

Agora vou andando e mendigando, 
Sem que um olhar dos mundos infinitos 
Veja passar o verme, rastejando... 

Ah, quem me dera ser como os chacais 
Uivando os brados, rouquejando os gritos 
Na solidão dos ermos matagais!... 

Florbela Espanca, in "Charneca em Flor"

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Óculos

É oficial.
A minha I. começou, ontem, a usar óculos para ver televisão e fazer os seus trabalhos de escrita/desenho!










Nota - Não tenho conseguido sequer respirar... há tantas palavras presas e falta de minutos para lhes dar vida...

sábado, 11 de outubro de 2014

Para o lixo...


A vida das minhas Dr. Martinez chegou ao fim.
Hoje, ganhei coragem e coloquei-as no lixo (embora elas já tivessem morrido há muito no fundo do gavetão). Não havia remédio possível - sola partida!


Também as minhas de Pastor, depois de tantos anos, estão a ficar pequenas (!?) e parece-me que terão que pedir reforma antecipada, já que estas nunca se estragam.

Resultado - as minhas botas de sonho de sempre e para sempre estão a desaparecer da minha vida... e o que eu penei para as ter... e agora, num sopro, lá se vão os meus ícones do calçado... não há direito.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Terapia da fala - o fim

Depois de quase um ano de sessões de terapia da fala, ontem, tudo acabou.
Este não foi um processo fácil. Durante muito tempo, mas muito tempo mesmo, a I. recusou completamente as sessões, não queria fazer os exercícios, e acabava por aniquilar tudo o que a terapeuta preparava para ela. 
Tive muitas conversas e até zangas com ela devido à sua postura. Disse-lhe, com toda a frontalidade, que se ela não queria lá estar, então, não íamos mais, pois eu estava a gastar muito dinheiro e que não estava disposta a continuar se não se justificasse. Fiz-lhe ultimatos. Expliquei-lhe mil vezes que principalmente ela tinha que querer, pois contra vontade nunca conseguiria ultrapassar a questão dos sons K e G. Enfim... 
Até que houve um dia, depois de uma destas minhas conversas, em que ela me disse "Eu agora quero ir à C." e a partir desse dia tudo mudou. Na verdade, parece-me que foi na semana após esta declaração que ela me presenteou com o som K
Ontem, foi o fim da linha anunciado desde agosto. Esta última sessão teve direito a sorrisos e lágrimas, afinal, a I. foi a primeira criança que esta terapeuta acompanhou desde o início até ao fim do tratamento. 



Agora é aguardar que os sons lh, nh e duplas consoantes surjam naturalmente durante este ano na S., caso contrário, parece-me que teremos que voltar a estas sessões, desta feita com outra protagonista.