segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Ódio a mim*

Às vezes odeio-me e por muito que eu queira (ou talvez na realidade não queira, e esse é que é o problema) não consigo mudar.





E depois fazem-me relatos de situações similares e já não me odeio tanto. Afinal, não estou sozinha.






* ou de como as obsessões familiares me põem doente.

3 comentários:

Sofia disse...

Olá linda, se formos a ver bem nunca estamos sozinhas em situações que achamos serem exemplares únicos...
Beijinhos,
Sofia

Jo disse...

Eu gosto muito de si:)

Incógnita disse...

:)