quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Na cama com...


Desde o Natal e até há dois dias atrás, a I. andava a fazer birras, pois não queria dormir na sua cama "Aqui não" dizia ela e eu, porque a S. nestes momentos começava a dar voltas na cama pronta para acordar e caso isso acontecesse teríamos o festival montado, acabava sempre por ceder e levava-a para a minha cama. Não era preciso sequer que eu lá ficasse com ela, bastava deitá-la lá e ela adormecia instantaneamente, todavia se a tentasse tirar de lá o circo recomeçava novamente. Ora, há dois dias atrás pensei: "Bolas, se és tão inteligente para umas coisas e se eu acredito que percebes perfeitamente tudo o que te digo, tenho que ter uma conversa contigo de mulher para mulher.".E assim foi. Depois do bacio da noite olhei para ela e disse:
Eu - Bebé, a mamã quer ter uma conversa séria contigo.
(ela desviou logo o olhar)
Eu - Olha para mim, olhos nos olhos.
(a custo lá olhou)
Eu - Filhota, a cama deste quarto é da mamã e do papá e tu tens uma cama no teu quarto. Cada um deve dormir na sua cama. (começou a sorrir, trocista) Entendes o que a mamã quer dizer?
I. - Xim. (a sorrir, malandra)
Eu - Então, tu tens a tua cama e é lá que tens que dormir e a mamã e o papá dormem na cama deles, isso é que está certo, percebes?
I. - A cama da mamã e do papá aqui. A cama da I. mana. (no quarto com a mana, era o que ela queria dizer.)
Eu - Pois, é isso mesmo. Vamos fazer uma promessa, está bem? Hoje, vais-te portar muito bem e vais dormir a noite toda na tua cama, sim?
(não pestanejou, não disse nada, eu tremi)
Eu - Vá, vamos dar um abraço e fica prometido.
(demos o abraço, fui pôr-lhe a fralda, deitei-a, contei a história, demos e beijinho e o abracinho e ela ficou.)
Nessa noite, não tive choros nem visitas noturnas.

Ontem, depois do bacio, quando lhe estava a pôr a fralda disse-lhe:
Eu - Bebé, a mamã está muito contente contigo. A noite passada portaste-te muito bem.
I. - Xim.
Eu - Vamos ter uma conversa séria.
(cortou-me a palavra)
I. - Cama da mamã e do papá e cama da I.
Eu - É isso mesmo, bebé, há a cama da mamã e do papá e a cama da I. E cada um dorme na sua cama, não é?
I. - Xim.
Eu - Então, está combinado, hoje vamo-nos portar muito bem outra vez.
E ficou, e não tive nem choros nem visitas noturnas inesperadas.

Hoje, tal como ontem, voltei a referir que estava contente com ela e ela disse-me imediatamente "Cama da mamã e do papá e cama da I." e ficou.

Até agora, ficou, espero que esta noite seja como as duas anteriores.

E não me venham dizer que as crianças com esta idade, coitadinhas, não percebem. Percebem, percebem muito bem, sabem tudo, sabem mesmo tudo.

3 comentários:

A Minha Essência disse...

O problema é os adultos falarem com as crianças como se elas fossem atrasadinhas. Falem com elas com normalidade que elas captam tudo. Os adultos é que complicam e elas (crianças se aproveitam da parvoice dos mesmos).

Linda menina a "nossa" I.

Kiss

Incógnita disse...

Tens toda a razão!

BalDocas disse...

Claro que percebem, e não é preciso dicionários nem palavreado caro para elas entenderem, é como diz a Minha Essência temos que falar normalmente sem "vozes de bebé".

Lindas Meninas

Beijocas