sexta-feira, 26 de junho de 2009

O homem-menino

Quando eu era menina gostava do rei da Pop, não, nunca fui fanática nem o considerava um ídolo, mas sempre lhe reconheci o seu valor e importância.
Hoje, quando soube da sua morte, as primeiras memórias que tive foram as viagens para o Algarve e o "karaoke" que eu e a minha irmã fazíamos. O banco de trás do Fiat 127 era nosso, tal como o gravador a pilhas, mais conhecido por "tijolo", que passava vezes sem conta o Billie Jean e o We Are The World. As nossas imitações desta última ainda estão bem presentes...


1 comentário:

A minha essência disse...

Esta música vai ficar perpétuada no tempo...

Bjokas